segunda-feira, 2 de março de 2009

Eu Sou um Filósofo da Paz. Eles Não!


Queridos leitores Bêbados e desocupados, eu tenho uma boa solução para diminuir a violência no Brasil: Armar a população!

Não só armar a população como também ensiná-la a usar a arma! Poderíamos fazer uma campanha do armamento.

Se eu fosse um bandido, iria pensar 2 vezes antes de atacar um cidadão que poderia estar armado.

Isso sim diminuiria a violência. Como ninguém pensou nisso antes?

Claro que todos os país de família portadores de armas seriam responsabilizados pelo uso da mesma, sendo assim, além de armar a população, seria de total responsabilidade do governo disponibilizar meios de deixá-las em casa de modo seguro.

Porém, o que eu não entendo é esse afinco em campanhas de desarmamento.


Raciocine comigo:

1) Quem comete atos de violência são os bandidos e assassinos (vulgo: Filhos da Puta) e não pobres cidadãos comuns.

2) Quem atende ao apelo das campanhas do desarmamento são pobres cidadãos comuns e não bandidos e assassinos.

3) Logo, quem vai se desarmar são os pobres cidadãos comuns que não fazem mal pra ninguém e não os bandidos e assassinos que fazem.

4) Após a campanha do desarmamento terminar, estará tudo como era antes, com a diferença que, se algum bandido ou assassino entrar na casa do pobre pai de família, ele não tem nem ao menos como defender sua família, logo, estará fudido.


Contemple abaixo a CENA 1 e a CENA 2. Veja qual você classificaria como REALIDADE e qual você acha que é pura FANTASIA:

CENA 1

Um marginal que usa arma para atacar cidadãos comuns está vendo televisão. Passa o comercial de uma campanha do desarmamento.

Ele fica comovido com tudo aquilo e pensa:

- Poxa, eles tem razão... arma é uma coisa feia e boba... e quem usa ela é feio e não vai para o céu... vou entregar a minha para ajudar a acabar com a violência e vou fazer serviços voluntários. Talvez eu me torne até pastor por isso!

( ) FANTASIA ( ) REALIDADE

CENA 2

Um marginal que usa arma para atacar cidadãos comuns está vendo televisão. Passa o comercial de uma campanha do desarmamento.

- Há Há Há Há... Agora que vou estuprar todo mundo e roubar pra comprar drogas mesmo, pois nem arma mais esses isentos filhos de uma égua vão ter para se defenderem de minhas investidas...

( ) REALIDADE ( ) FANTASIA

Já ouvi alguém dizer uma vez que vivemos em um tipo de guerra, tamanha a violência que se encontra nos dias de hoje. Essa pessoa com certeza falou bosta. Em uma guerra, queridos leitores, os dois lados estão armados. Portanto ela é mais justa, fato. O que vivemos não é uma guerra, pois só meus agressores estão armados. Isso se chama MASSACRE.

No velho oeste era assim: cada um andava com seu trabuco na cintura. Sem importunar ninguém. Se você mexeu comigo, então vamos resolver ao meio-dia, num duelo. Quem ganhou, ótimo. Quem não ganhou, azar. Sem morosidades da lei injusta e sem covardia. Sem direitos humanos para meus agressores. Que vença o melhor.

Hoje em dia, quase 150 anos depois é assim: Eu ando acuado na rua, quem vier e mexer comigo, não me convida pro duelo nem nada. Me dá um tiro e leva meu dinheiro. Simples assim! Viva aos direitos humanos.

Há 150 anos atrás éramos mais civilizados. E mais justos também.

Só gostaria de saber para onde vão as armas arrecadadas nessas malditas campanhas. Talvez, o governo entregue elas ao exército que por sua vez revende aos bandidos e traficantes. Não, não. Acho que estou implicando demais com o governo. Os bandidos e traficantes nunca comprariam essas armas. Eles já possuem metralhadoras e granadas.

Agora se você não concorda com o que eu disse, favor imprimir a imagem a baixo e colar na porta de sua casa! Assaltantes darão sorrisos de orelha a orelha ao ver isso!


Favor, sejam violados por uma anão albino com diarréia.

Grato, Platão

13 comentários:

LameDuck disse...

Um dos únicos problemas de ter uma arma em casa é que grande parte da população faria merda num momento de raiva. ( descobriu que é corno, ou acha que é corno, ou a mulher derrubou a cerveja ).

Tirando grande parte de gente que morreria por idiotice, o resto é só coisa boa.

Se alguém te roubar, é chumbo no traseiro dele.

Seriam menos vagabundos nas cadeias para gente alimentar. Bandido morto é melhor que bandido preso

Lisabelle disse...

Totalmente a favor do post!

Nanny Nascimento disse...

Acho que meu pai e vc se dariam bem... Acabo de ler suas sábias palavras em seu blog.

=*

Jean disse...

Hey nobre filósofos filhos de uma égua!

devo admitir que a cada post vcs se superam ao misturar humor com a realidade do mundo!

parabéns ao excelente trabalho!!!

abraços por trás!

Jhennifer Cavassola disse...

Depois tenho que ler essa postagem. hehe

Agora vim aqui aqui dizer que tenho um selo pra ti! Beijos :)

O Digitador! disse...

Q pais q vc vive?!? Pow arma no Brasil eh liberado... q nem a maconha... a cocaina... e a lavagem de dinheiro.... vc soh naum pode sair espalhando... proibido eh dizer!

Entra aqui em casa pra ver se tu naum leva uns pipocos... aqui é ZL mano kkkkk

Táxi Pluvioso disse...

Não são as balas que matam as pessoas, são os buracos que matam.

Jáááárdel disse...

eu não teria coragem de matar, mas pelo menos atirar no olho do cú do desgraçado eu queria...

foda-se platão!

Diego Galeano disse...

Apoiado, desde que o portador de arma tenha um treinamento minimo e tenha acabeça no lugar pra não fazer besteira como o LameDuck sabiamente disse

Anônimo disse...

Vamos ver se acerto...

Número 1

(x) FANTASIA

Número 2

(x) REALIDADE

Acertei??????...rsrs


Gostei do post e concordo !!!!

Johnny Blaze disse...

...tem selo pra vc. Abraçaõ!

Burzum disse...

Olá. eu sou portuguesa e na minha opinião a violência no Brasil é um caso quase perdido. Teria que mudar muita coisa, teriam que ser feitas medidas preventivas e se queres que eu seja sincera, esses morros deviam era de ir pelos ares, se é que me entendes. Há muitos portugueses que não viajam para o Brasil por isso mesmo, há muita violência e nem em casa há segurança. Eu tenho muita pena porque eu acho o Brasil um país lindo, adoro a vossa cultura, vejo as vossas novelas e adorava conhecer esse país mas o que me faz não ir é a violência, eu não vou porque com 90% de certeza que vou ser assaltada ou morta... =/ É um assunto complicado... Eu concordo com o que escreveste neste artigo e gostei muito do teu blogue. bj

Anderson Lopes disse...

Imagine uma discução de trânsito, onde houve fechada por parte de um dos condutores:
Um perde completamente a paciência, puxa sua arma e manda três tiros no outro.
Como se definiria isso? Quem disparou é assassino ou um desequilibrado? Também não sou a favor do desarmamento, mas hoje não é como há 150 anos atrás. Aqui, você sabe que é um devorando o outro. Moro no Rio de Janeiro e já vi pessoas puxarem o "ferro" por motivo fútil: O cara estava no bar jogando cartas, perdeu e ouviu um "Se fu... perdeu de novo"
A pistola do cara surgiu da cintura e uma pergunta ecoa "Quem é que vai se Fu... agora?"

Novamente digo que não sou a favor do desarmamento, mas faço votos que o portador faça avaliações periódicas da saúde mental.

Abraços